ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Showing of 1 until 2 from 2 result(s)

Search for : Claudio Cortez dos Santos

Microsurgery in complex reconstruction: results and complications

Marcus Vinicius Ponte de Souza Filho, Cláudio Cortez dos Santos
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(2):123-130 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Background: The purpose of study is to report the initial experience of the authors with microsurgical procedures to reconstruct complex defects, in an attempt to create a reconstructive microsurgery group in a general hospital. Methods: Twenty microsurgical procedures (head and neck, superior and inferior limb reconstruction) were performed between November/2003 and February/2007. The complications were divided into immediate (operative period), early (until 21 days) and delayed (after 21 days). Complications related to reconstruction itself were divided into minor (partial necrosis or partial satisfaction) or major (total necrosis or no satisfaction). Complications related to donor sites were divided into minor (surgical repair) or major (deformity not acceptable). Results were divided into good, acceptable and bad. The flap survival rate was 73.3% with four total necrosis cases. The total recuperation rate after nervous reconstruction was 60% while the partial rate was 40%. Results: It was reported 13.3% of immediate complications and 20% of early complication related to reconstruction itself, and the results were classified as good (75%) and bad (25%). It was observed 15% of early complications related to donor site and the results were classified as good (95%) and acceptable (5%). Conclusions: These results demonstrated that microsurgical procedures are safe and with little morbidity at donor site, which supports the feasibility of creation of a reconstructive microsurgery group. It is probably that better selection of patients and progression of learning curve will gradually increase the flap survival rate.

Keywords: Microsurgery. Surgical flaps. Outcome assessment (health care).

 

RESUMO

Introdução: O presente trabalho tem por objetivo relatar a experiência inicial dos autores com o uso da microcirurgia na reconstrução de defeitos complexos, numa tentativa de implantar um grupo de microcirurgia reconstrutiva num hospital geral. Método: Avaliaram-se 20 procedimentos microcirúrgicos, no período de novembro/2003 a fevereiro/2007, em reconstruções de cabeça e pescoço, membro inferior e membro superior. Dividiram-se as complicações em imediatas (intra-operatórias), recentes (até 21 dias) e tardias (após 21 dias). As complicações relacionadas às reconstruções foram divididas em menores (perda parcial do retalho e/ou satisfação parcial do plano pré-operatório) e maiores (perda total do retalho e/ou não satisfação do plano pré-operatório). Em relação às áreas doadoras, foram também divididas em menores (necessidade de reintervenção cirúrgica) e maiores (deformidade não satisfatória ao cirurgião e/ou não aceitável ao paciente). Resultados: Onze retalhos sobreviveram (73,3% de sucesso) e em quatro houve perda total. Das reconstruções nervosas, três (60%) obtiveram recuperação total e duas (40%), parcial. Com relação à reconstrução, foram observados 13,3% de complicações imediatas e 20% de complicações recentes, com resultados bons em 75% e ruins em 25%. Para área doadora observaram-se apenas complicações recentes em 15%, com resultados bons em 95% e satisfatórios em 5%. Conclusões: Os resultados bons e satisfatórios de 75% para reconstrução e 100% para área doadora demonstram que o procedimento microcirúrgico é confiável e com pouca sequela na área doadora, sendo a implantação do grupo de Microcirurgia fortalecido com estes resultados. Com a melhor seleção dos pacientes e progressão da curva de aprendizagem, acredita-se que a taxa de sobrevida dos retalhos aumente gradativamente.

Palavras-chave: Microcirurgia. Retalhos cirúrgicos. Avaliação de resultados (cuidados de saúde).

 

Fat grafting in breast reconstructions with expanders and implants

Carlos Cunha Oliveira; Claudio Cortez dos Santos
Rev. Bras. Cir. Plást. 2020;35(1):94-100 - Review Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Autologous fat grafting was first described more than 100 years ago by Neuber to correct facial defects. At the same time, Czerney described the use of a lipoma on the back to recreate a post-mastectomy breast. The technique was popularized by Coleman, who described the use of liposuction and adipocyte purification for injecting into the face as a soft tissue filling. Then, Bircoll and Novack (1987 apud Costantini et al.4) extended this use to breasts. In 1990, there was a growth in the use of fat grafting after Coleman's technique. This confirmed that adipose tissue could be satisfactorily transferred with the formalization of a restricted protocol for fat injection preparation. Coleman's technique is by far the most commonly used. The adipose tissue is infiltrated with a tumescent solution and then manually aspirated. The liposuction material is subsequently centrifuged to isolate the adipose tissue from the oily and aqueous fraction and was then injected. Transferring fat from an excess area such as the abdomen or thighs to reconstruct or improve the shape and volume of the breast is not a new idea. Later, a study by Illouz on liposuction promoted the widespread use of the technique worldwide. Postoperative mammographic images to control fat absorption and necrosis vary. These can present as lipid cysts, suspected malignant findings such as grouped microcalcifications, spiculated areas of increased opacity, and focal masses.

Keywords: Breast; Allografts; Breast implant; Tissue expansion devices; Review literature as a subject.

 

RESUMO

A lipoenxertia autóloga foi inicialmente descrita há mais de 100 anos por Neuber objetivando correção de defeitos faciais. Ao mesmo tempo, Czerney descreveu a utilização de lipoma nas costas para recriar uma mama pós-mastectomias. A técnica foi popularizada por Coleman, que descreveu o uso de lipoaspiração e purificação de adipócitos para injeção na face como preenchimento de tecido mole. Bircoll e Novack (1987 apud Costantini et al.4) expandiram então esta aplicação para as mamas. Em 1990 houve um crescimento no uso da lipoenxertia, após o trabalho de Coleman, que confirmou que o tecido adiposo poderia ser transferido satisfatoriamente com a formalização de um protocolo restrito para preparação e injeção de gordura. A técnica de Coleman é de longe a mais comumente usada. O tecido adiposo é infiltrado com uma solução tumescente e, em seguida, manualmente aspirada. O lipoaspirado é subsequentemente centrifugado para isolar o tecido adiposo da fração oleosa e aquosa e finalmente injetado. A transferência de gordura de uma área em excesso, como o abdômen ou as coxas para reconstrução ou melhorar a forma e o volume da mama, não é uma ideia nova. Seguindo o trabalho de Illouz sobre a lipoaspiração, que levou ao seu uso generalizado em todo o mundo. As imagens mamográficas após lipoenxertia são variadas, a absorção de gordura e sua evolução à necrose gordurosa variam de cistos lipídicos a achados suspeitos de malignidade, como microcalcificações agrupadas, áreas espiculadas de opacidade aumentada e massas focais.

Palavras-chave: Mama; Aloenxertos; Implante mamário; Dispositivos para expansão de tecidos; Literatura de revisão como assunto

 

Support

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license