ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Showing of 1 until 20 from 416 result(s)

Search for : Cirurgia de Mohs; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Carcinoma basocelular; Neoplasias cutâneas; Estética; Face

Facial rejuvenation with fat grafting: systematization and study of 151 consecutive cases

EDUARDO ANTONIO TORRES FURLANI; DIEGO BOMFIM SABOIA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(4):439-445 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: Considering that the loss of facial volume is a primary factor associated with aging, an increased demand for safe, long-lasting, and biocompatible filling materials has been observed. Thus, the use of fat grafting has gained considerable popularity. However, there are open questions about the safety, efficacy, and durability of fat grafting. Moreover, most studies have not presented the volumes injected in each region, making learning challenging for beginners in the area. In this study, the results of facial rejuvenation with fat grafting in 151 consecutive cases were analyzed.
Methods: Fat was collected via manual suction, centrifuged at 448 g (2000 rpm/radius 10 cm) for 4 min, and injected with microcannulas that are 1-1.1 mm in size. The injection sites and corresponding injection volumes were identified.
Results: The mean follow-up time was 289.29 days (minimum: 7 days, maximum: 1254 days, and standard deviation [SD]: 275.1), and the mean injection volume was 32 mL (range: 4-68 mL, SD: 14). Moreover, no complications were observed.
Conclusion: Fat grafting is a safe, predictable, and effective procedure, and it can be used for facial rejuvenation in certain cases.

Keywords: Face; Rhytidoplasty; Autologous transplantation; Subcutaneous fat; Aesthetics; Reconstructive surgical procedures

 

RESUMO

Introdução: Considerando que a perda de volume facial é fator primário de envelhecimento, tem acontecido um aumento da demanda por materiais de preenchimento que sejam seguros, de longa duração e biocompatíveis. Nesse sentido, a utilização do enxerto de gordura vem ganhando bastante popularidade. Entretanto, existem questionamentos sobre segurança, eficácia e durabilidade da lipoenxertia. Além disso, a maioria dos artigos da literatura não menciona volumes injetados em cada área, dificultando o aprendizado dos iniciantes. Nesse estudo, analisam-se os resultados de uma série de 151 casos consecutivos de rejuvenescimento facial com lipoenxertia.
Métodos: A gordura foi colhida por meio de sucção manual, centrifugada a 448g (2000 rpm/ raio 10cm) por 4 minutos e injetada com microcânulas de 1 a 1,1mm. Descreve-se a sistematização de áreas de injeção, com os respectivos volumes a serem aplicados.
Resultados: Encontrou-se seguimento médio de 289,29 dias (mínimo 7, máximo 1254, DP 275,1), o volume médio injetado foi de 32 ml, variando de 4 a 68 (DP 14). Não houve complicações.
Conclusão: A lipoenxertia é um procedimento seguro, previsível e efetivo, como opção de tratamento, para rejuvenescimento facial, em determinados casos.

Palavras-chave: Face; Ritidoplastia; Transplante autólogo; Gordura subcutânea; Estética; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

Reconstruction of nasal defects using the Rieger flap

Filipe Lopes Decusati; Antônio Egidio Rinaldi
Rev. Bras. Cir. Plást. 2020;35(2):149-153 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: the reconstruction of skin defects in the distal part of the nose is always a challenge. The dorsal nasal flap, initially described by Gillies, was unveiled when Rieger, in 1967, described the use of a modified rotation flap that used the redundant skin of the glabella to repair full-thickness defects of the lower half of the nose of equal or greater size of 2 cm, allowing reconstruction in a single surgical time.
Methods: A retrospective study was carried out, selecting patients who had basal cell carcinoma, in the middle and/or lower third of the nose, who were treated at the Plastic Surgery outpatient clinic of the Plastic Surgery Service Prof. Dr. Oswaldo de Castro, in the period from 2017 to 2019.
Results: The total number of patients was six, with ages ranging from 64 to 95 years, with an average of 80.67 years. Five of these patients were male, with only one female. There were no complications during or after the procedures. Also, there were no cases of infection, bleeding, hematoma, dehiscence, or necrosis of the flap.
Conclusion: the Rieger flap is a good option for cases of reconstruction of defects located in the lower half of the nose; it is performed in a single moment, is easy to perform, and has a high level of patient satisfaction. It provides an adequate result aesthetics of the reconstructed area, in texture and color, through the use of specific tissues for the nasal covering.

Keywords: Surgical flaps; Nose; Reconstructive surgical procedures; Nose neoplasms; Carcinoma, Basal cell.

 

RESUMO

Introdução: A reconstrução de defeitos cutâneos na porção distal do nariz sempre é um desafio. O retalho de dorso nasal, originalmente descrito por Gillies, ficou conhecido quando Rieger, em 1967, descreveu o uso de um retalho de rotação modificado que utilizava a pele redundante da glabela para reparar defeitos de espessura total da metade inferior do nariz com tamanho igual ou menor a 2cm, permitindo a reconstrução em somente um tempo cirúrgico.
Métodos: Um estudo retrospectivo foi realizado, selecionando pacientes que foram atendidos no ambulatório de Cirurgia Plástica do Serviço de Cirurgia Plástica Prof. Dr. Oswaldo de Castro, no período de 2017 a 2019, que apresentavam carcinoma basocelular, em região de terço médio e/ou inferior do nariz.
Resultados: O número total de pacientes foi de seis, com idade variando entre 64 a 95 anos, com média de 80,67 anos. Cinco destes pacientes eram do sexo masculino, sendo somente uma do sexo feminino. Não houve intercorrências durante ou após os procedimentos. Ainda, não ocorreram casos de infecção, sangramento, hematoma, deiscência ou necrose do retalho.
Conclusão: O retalho de Rieger é uma boa opção para casos de reconstrução de defeitos localizados em metade inferior do nariz, sendo realizado em tempo único, de fácil execução e com alto nível de satisfação dos pacientes, fornecendo um adequado resultado estético da área reconstruída, em textura e cor, por utilizar tecidos próprios da cobertura nasal.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Nariz; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Neoplasias nasais; Carcinoma basocelular

 

Long-term follow-up of incomplete resection of basal cellular carcinomas

Telma Carolina Ritter de Gregorio, Juliano Carlos Sbalchiero, Paulo Roberto de Albuquerque Leal
Rev. Bras. Cir. Plást. 2005;20(1):8-11 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Cutaneous cancer is the most frequent malignancy with increasing rate seen over the last decades. Incomplete initial resection seen in histopathologic specimens is not uncommon and the appropriate approach to these cases is still very controversial. This study identified and analyzed cases of incomplete resection in the Instituto Nacional de Câncer in 1997, aiming at evaluating the conduct adopted and the percentage of relapse over a 5-year follow-up period. In the service, 853 patients with basal cellular carcinoma were surgically treated and 87 cases of incomplete resection (10.2%) were identified. The main adopted conduct was clinical follow-up in 87% of the cases. The index of recurrence was 36%, mainly affecting patients with tumors of greater than 2 cm in size and of the sclerodermiform histologic subtype. The mean follow-up time was 43 months. This work suggests that clinical follow-up is an adequate conduct in duly selected cases, as reoccurrence also occurs in up to 1/3 of the cases in the national population and that long-term followup is possible even in public institutions, as was seen in this series.

Keywords: Carcinoma, basal cell, recurrence. Skin neoplasms. Reconstructive surgical procedures. Surgery, plastic

 

RESUMO

O câncer cutâneo é a malignidade mais freqüente, com incidência crescente nas últimas décadas. O achado de margens positivas após a ressecção inicial não é incomum, e seu manejo adequado ainda é bastante controverso. Procurou-se identificar e analisar os casos com ressecções incompletas no Instituto Nacional de Câncer, no ano de 1997, de forma a avaliar a conduta adotada e o porcentual de recidiva em um seguimento de cinco anos. Foram operados no serviço 853 casos de carcinoma basocelular, com 87 (10,2%) pacientes com margens comprometidas. A principal conduta adotada foi o acompanhamento clínico em 87% dos casos. O índice de recidiva foi de 36%, sobretudo em pacientes com tumores maiores de 2cm e do subtipo histológico esclerodermiforme. O tempo médio de seguimento foi de 43 meses. Este trabalho reforça que o acompanhamento clínico é uma conduta adequada em casos devidamente selecionados, na medida em que estabelece que recidivas ocorrem em até 1/3 dos casos também na população nacional, e que é possível o acompanhamento a longo prazo em uma instituição pública, como observado nesta série.

Palavras-chave: Carcinoma basocelular, recidiva. Neoplasias cutâneas. Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos. Cirurgia plástica

 

Lower eyelid and malar/palpebral groove reconstructions with a V-Y skin flap after skin tumor removal

Mariane Campagnari
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(4):468-473 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: The most commonly used flaps for the reconstruction of the lower eyelid and malar/palpebral groove are cervicofacial flaps owing to their horizontal traction, which results in a lower risk of ectropion and canthal dystopias. V-Y skin flap is not often used for the fear of the vertical traction being transferred to the lower eyelid, which would lead to the occurrence of ectropion and dystopias. Our aim is to demonstrate that, if well executed, this flap may be a good option for reconstructions of this region. METHODS: Sixty-eight eyelid reconstructions have been performed at the ACCamargo Cancer Center between December 2012 and May 2015. Of these, 29 patients underwent reconstruction of the lower eyelid or malar/palpebral groove using a V-Y skin flap after skin tumor removal. RESULTS: Among the palpebral reconstructions, the most commonly used was the V-Y flap (29 cases, 42.6%). Two cases (6.9%) developed ectropion. No case of seroma, hematoma, infection, or partial loss of the flap has been observed. CONCLUSION: The V-Y flap is a good option for eyelid reconstruction when well indicated, designed, and executed, since it presents low complication rates and the possibility to be performed under local anesthesia. Therefore, this flap is a good choice for patients without the clinical conditions necessary to undergo surgery under general anesthesia.

Keywords: Eyelids; Reconstructive surgical procedures; Skin neoplasms; Ectropion.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: Os retalhos mais comumente utilizados para reconstruções de pálpebra inferior e junção malar/palpebral são os cervicofaciais, pois a sua tração horizontal levaria a menor risco de ectrópio e distopias cantais. O retalho cutâneo em V-Y frequentemente não é utilizado pelo receio de que a tração vertical seja transferida à pálpebra inferior, gerando ectrópio e distopias. Nosso objetivo é demonstrar que, se bem executado, este retalho pode ser uma boa opção para reconstruções nesta região. MÉTODOS: Foram realizadas 68 reconstruções palpebrais no ACCamargo Cancer Center, entre dezembro de 2012 e maio de 2015. Dentre estes pacientes, 29 foram submetidos à reconstrução de pálpebra inferior ou junção malar/palpebral, após ressecção de tumores cutâneos, com retalhos cutâneos em V-Y. RESULTADOS: Dentre as reconstruções palpebrais, o retalho V-Y foi o mais utilizado (29 casos, 42,6%). Dois casos (6,9%) evoluíram com ectrópio. Não houve nenhum caso de seroma, hematoma, infecção ou perda parcial do retalho. CONCLUSÃO: O retalho V-Y é uma boa opção para reconstruções palpebrais quando bem indicado, desenhado e executado, pois apresenta baixos índices de complicações e também por poder ser realizado sob anestesia local, sendo uma boa escolha para pacientes sem condições clínicas de serem submetidos à anestesia geral.

Palavras-chave: Pálpebras; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Neoplasias cutâneas; Ectrópio.

 

Versatility of the mid-forehead flap in facial reconstruction

Mayra Joan Marins da Costa
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(4):474-480 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: Reconstruction of complex facial defects is a challenge to the plastic surgeon. Different missing anatomical units must be accessed in different ways and with individualized goals, always tailoring the options to the patient's needs. The objective is to examine the role of the mid-forehead flap in the reconstruction of different anatomical facial units. METHODS: Retrospective analysis of patients who were operated on by the author from February 2010 to June 2015. Patients were evaluated according to age, sex, lesion etiology, defect location, number of operations performed per patient, and postoperative complications. RESULTS: Fifteen patients (mean age, 69 years) underwent facial reconstruction with a mid-forehead flap. Thirteen patients required more than one operation for pedicle refinement and transection. There was one case of partial necrosis of the flap in the columella region, with satisfactory healing by second intention. There was no infection or hematoma. All secondary cartilage grafts showed integration into the recipient bed. CONCLUSIONS: The mid-forehead flap remains an important tool for the reconstruction of major facial defects. It allows the transfer of frontal tissue in an efficient and reliable way with minimal deformity in the donor area, resulting in an esthetically acceptable reconstruction.

Keywords: Reconstructive Surgical Procedures; Skin neoplasms; Nose/surgery; Surgical Flaps.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: A reconstrução de defeitos complexos faciais é um desafio ao cirurgião plástico. Diferentes unidades anatômicas ausentes devem ser acessadas de maneiras distintas e com objetivos próprios, sempre adequando as possibilidades ao paciente em questão. O objetivo é mostrar o papel do retalho médio-frontal na reconstrução de diferentes unidades anatômicas faciais. MÉTODOS: Análise retrospectiva de pacientes operadas pela autora, no período de fevereiro de 2010 a junho de 2015. Os pacientes foram avaliados em relação à idade, sexo, etiologia da lesão, localização do defeito, número de tempos cirúrgicos realizados por paciente e complicações pós-operatórias. RESULTADOS: Quinze pacientes foram submetidos à reconstrução facial com retalho médiofrontal, com média de idade de 69 anos. Treze pacientes necessitaram mais de um tempo cirúrgico para refinamento e transecção do pedículo. Houve um caso de necrose parcial do retalho na região da columela, com cicatrização satisfatória por segunda intenção. Não houve infecção ou hematoma. Todos os enxertos cartilaginosos secundários se integraram ao leito receptor. CONCLUSÕES: O retalho médio-frontal permanece como importante ferramenta na reconstrução de grandes defeitos faciais. Permite a transferência de tecido frontal de forma eficiente e confiável com mínima deformidade na área doadora, possibilitando uma reconstrução esteticamente aceitável.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Neoplasias cutâneas; Nariz/cirurgia; Retalhos cirúrgicos.

 

Risk factors for positive margin during basal cell carcinomas resection

Rodrigo Campos Soares Quintas, André Luiz Figueiredo Coutinho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2008;23(2):116-119 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: The main objective from surgical treatment of the cutaneous cancer is this complete excision, preserving the function and the best aesthetic result. Incomplete initial resection can result in important recurrence and damage. Objective: To analyze the risk factors for the positive margin during the resection of the basal cell carcinoma. Method: A survey of histopathologic specimens from 211 operated patients, carrying of basal cell carcinoma, was analyzed and, among those with edges compromised in the result, the association of positive margins with tumor size, clinical type, histological subtype and topography was evaluated. Results: 310 neoplasms had been removed, being 276 basal cell carcinomas. The prevalence of positive margin was 8%. Ulcerated type and located in face had had a higher incidence of positive margins, however without statistical meaning. Tumors greater than 2cm in size and the infiltrative and metatipical basosquamous histological subtypes had appeared strongly related with incomplete resection of this tumor, with statistical significance. Conclusion: In our casuistry, the tumors greater than 2cm in size and the infiltrative and metatypical basosquamous histological subtypes had been the main risk factors related to the incomplete excision of basal cell carcinomas.

Keywords: Carcinoma, basal cell/surgery. Skin neoplasms. Risk factors. Neoplasm, residual.

 

RESUMO

Introdução: O objetivo principal do tratamento cirúrgico dos carcinomas cutâneos é a remoção completa da lesão, preservando-se a função e o melhor resultado estético possível. O comprometimento de margens cirúrgicas após um tratamento inicial inadequado pode resultar em recorrências e seqüelas importantes. Objetivo: Analisar os fatores de risco para o comprometimento de margens cirúrgicas nas ressecções dos carcinomas basocelulares. Método: Foi realizado um levantamento de laudos histopatológicos de 211 pacientes operados, portadores de carcinoma basocelulares e, dentre aqueles com margens comprometidas no resultado, foi avaliada a associação com diâmetro da lesão, tipo clínico, tipo histológico e topografia. Resultados: Foram ressecadas 310 neoplasias, sendo 276 carcinomas basocelulares. A prevalência de margens comprometidas foi 8%. As lesões ulceradas e localizadas na face tiveram incidência maior de comprometimento de margens cirúrgicas, porém sem significado estatístico. Os tumores com diâmetro maior que 2cm e os subtipos histológicos infiltrante e metatípico apareceram fortemente relacionados à ressecção incompleta da lesão, com dados estatisticamente significantes. Conclusão: Em nossa casuística, o diâmetro das lesões maior que 2cm e os tipos histológicos infiltrante e metatípico foram os principais fatores de risco relacionados ao comprometimento de margens cirúrgicas após ressecção de carcinomas basocelulares.

Palavras-chave: Carcinoma basocelular/cirurgia. Neoplasias cutâneas. Fatores de risco. Neoplasia residual.

 

Reconstruction in Mohs micrographic surgery

Augusto César de Melo Almeida; José Carlos Ribeiro Resende Alves; Erick Horta Portugal; Izabella Costa Araujo; Rebeca Paohwa Liu da Fonseca; José de Souza Andrade Filho; Aloísio Ferreira da Silva Filho; Nárlei Amarante Pereira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(2):235-241 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: Mohs micrographic surgery is used for the excision of skin neoplasms, especially in locally aggressive histological subtypes of basal cell carcinoma, tumor recurrences, or tumors located in critical areas. This technique has a high cure rate and allows maximum preservation of tissues. In this study, we aimed to assess the effectiveness of Mohs micrographic surgery and reconstruction methods. METHODS: Data from 50 patients who underwent Mohs micrographic surgery to excise skin tumors and reconstruct lost tissue were collected retrospectively. All patients were operated on between January 2005 and December 2013 at the Plastic Surgery Clinic of the Felício Rocho Hospital (Belo Horizonte, MG, Brazil). The patients' age, sex, tumor location, previous treatment, histological type, number of segments analyzed by micrographic surgery, reconstruction method used, and preservation were studied. RESULTS: Thirty-one patients (62%) were women and 19 (38%) were men. The mean age was 63.8 years. All lesions were facial, with 66% of cases affecting the nasal area. Presurgery, there were 48 cases (96%) of basal cell carcinoma and 2 cases (4%) of microcystic adnexal carcinoma. Local flaps were the most used reconstruction method. The patients were followed-up for a mean of 48.4 months. We did not observe any cases of tumor recurrence. CONCLUSION: Mohs micrographic surgery was shown to be effective in the treatment of 50 skin neoplasms. We recommend that surgical defects should be repaired by the plastic surgeon.

Keywords: Mohs surgery; Skin neoplasms; Surgical flaps; Head and neck neoplasia; Plastic surgery

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: A cirurgia micrográfica de Mohs é empregada para exérese de neoplasias cutâneas, especialmente carcinomas basocelulares de subtipos histológicos localmente agressivos, tumores recidivados ou localizados em regiões nobres. Apresenta elevados índices de cura e permite preservação tecidual. O objetivo é analisar a eficácia da cirurgia micrografia de Mohs e os métodos de reconstrução utilizados. MÉTODO: Foram coletados, retrospectivamente, dados de 50 pacientes submetidos à exérese de tumores cutâneos por meio da cirurgia micrográfica de Mohs e à reconstrução da perda de substância. Todos os pacientes foram operados no período entre janeiro de 2005 a dezembro de 2013 na Clínica de Cirurgia Plástica do Hospital Felício Rocho (Belo Horizonte, MG, Brasil). Os pacientes foram estudados com relação à idade, gênero, localização do tumor, tratamento prévio, tipo histológico, número de fragmentos analisados na cirurgia micrográfica, método de reconstrução empregado e proservação. RESULTADOS: Trinta e um pacientes (62%) foram do gênero feminino e 19 (38%) do masculino. A média de idade foi de 63,8 anos. Todas as lesões encontravam-se na face, com 66% dos casos com acometimento da região nasal. Considerando o diagnóstico pré-operatório, 48 casos (96%) eram carcinoma basocelulares e dois casos (4%) correspondiam ao carcinoma microcístico anexial. Retalhos locais foram o tipo de reconstrução mais utilizado. Os pacientes foram acompanhados por média de 48,4 meses. Nenhum caso de recidiva tumoral foi observado. CONCLUSÃO: A cirurgia micrográfica de Mohs se mostrou altamente eficaz no tratamento dos 50 casos de neoplasias cutâneas. Recomenda-se que os defeitos cirúrgicos sejam reparados pelo cirurgião plástico.

Palavras-chave: Cirurgia de Mohs; Neoplasias cutâneas; Retalhos cirúrgicos; Neoplasias de cabeça e pescoço; Cirurgia plástica.

 

Retrospective analysis of treatment approaches used for basal and squamous cell carcinoma in the head and neck

Marcelo Wulkan
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(4):574-585 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: The incidence of skin cancer on the head and neck is increasing worldwide, and basal and squamous cell carcinomas represent the most frequent types. There is no unanimous consensus for all tumor cases, based on the histological type, size, depth, and location of the lesion. The objective is to analyzed the approach used in skin neoplasias in the head and neck, focusing on the treatments performed, recurrence, and follow-up. METHODS: Sixty-nine patients with basal or squamous cell carcinoma who were treated with surgery, cryotherapy, freezing of lesions in the intraoperative period, or 5% imiquimod were analyzed for 6 weeks. During 36 months of follow-up, the efficacy of the chosen treatment, recurrence, side effects, complications, and esthetic satisfaction of patients were observed. Statistical analysis was performed using the Fisher's exact test. RESULTS: The most frequent type of reconstruction was primary closure (71%). There were no statistically significant correlations between age, sex, Fitzpatrick classification, location/size of lesion, method of treatment, or recurrence. The main complications resulting from surgery were: a case of a frontal flap necrosis, a partial lesion of the buccinator nerve, and nasal stenosis. There was a 4% tumor recurrence in patients treated with surgery. The cryotherapy and 5% imiquimod treatments resulted in six cases of mild local reactions with a more pronounced recurrence in a patient with superficial basal cell carcinoma (BCC) (not statistically significant). CONCLUSIONS: Non-superficial BCC and squamous cell carcinomas should be treated with surgery. Superficial BCCs may be treated with cryotherapy and 5% imiquimod with fewer complications and better aesthetic results, but this results in higher tumor recurrence.

Keywords: Skin neoplasias; Basal cell carcinoma; Squamous cell carcinoma; Post-operative complications.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: O câncer de pele em cabeça e pescoço tem incidência crescente no mundo, sendo o carcinoma basocelular e espinocelular os tipos mais frequentes. Não existe consenso absoluto para todas as situações tumorais conforme tipo histológico, tamanho, profundidade e localização da lesão. O objetivo é analisar a conduta abordada nessas neoplasias de pele em cabeça e pescoço, com ênfase nos tratamentos efetuados, recidivas e seguimento. MÉTODO: Foram analisados 69 pacientes com carcinoma basocelular ou de células escamosas tratados por cirurgia com congelação da lesão no intraoperatório, crioterapia ou Imiquimod 5% por 6 semanas. Com 36 meses de seguimento, observou-se a eficácia do tratamento escolhido, recidiva, intercorrências, complicações e satisfação estética do paciente. A análise estatística utilizou o teste exato de Fischer. RESULTADOS: O tipo de reconstrução mais frequente foi o fechamento primário (71%). Não existem associações estatisticamente relevantes relacionando idade, sexo, classificação de Fitzpatrick, local/ tamanho da lesão, métodos de tratamento e recidiva. As principais complicações resultaram das cirurgias: um caso de necrose de retalho frontal, lesão parcial de nervo bucinador, estenose narinária. A recidiva tumoral nos casos operados foi de 4%. A crioterapia e uso do Imiquimod 5% causaram seis casos de reações locais leves com mais recidiva descritiva no tratamento de carcinoma basocelular (CBC) superficial (não estatisticamente relevante). CONCLUSÕES: Os CBC não superficiais e carcinoma espinocelular devem ser tratados cirurgicamente. Os CBC superficiais podem ser tratados com crioterapia e uso do Imiquimod 5% com menos complicações e melhor resultado estético, mas a recidiva tumoral é maior.

Palavras-chave: Neoplasias cutâneas; Carcinoma basocelular; Carcinoma de células escamosas; Complicações pós-operatórias.

 

Second intention healing in the treatment of nasal basal cell carcinoma

Daniel Nunes; Marcelo Rosseto; Filipe Piazzi Tavares; Kamilla de Bessa Jorge; Douglas Barreto Lamante
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(2):209-215 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: The search for better alternatives for the treatment of nasal basal cell carcinoma (BCC) has been reported by several authors. The complications associated with grafts and skin flaps include the risk of non-integration or necrosis, and the formation of scars that are often large or unaesthetic. In addition, these procedures require longer operative times, which implies the need for a surgical center. The simple removal of nasal BCC, followed by second intention healing and simple postoperative cosmetic care, has reemerged as a valid alternative for the treatment of these tumors. METHODS: In this study, the authors describe their experience with the technique, and report the advantages of the method. All patients submitted to this procedure were followed-up prospectively for a period of 4 years. RESULTS: Of 23 patients, 12 were monitored for 2 years and were included in the study. The surgical procedure was performed without difficulty in an average of 21 minutes (+6). Postoperative evolution was uncomplicated and without tumor recurrence. CONCLUSION: This technique is a simple and safe alternative, providing excellent results for the treatment of nasal BCC.

Keywords: Basal cell carcinoma; Intention; Healing; Nose; Skin neoplasms.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: A busca por melhores alternativas para o tratamento do carcinoma basocelular (CBC) nasal é referida por diversos autores há anos. Os enxertos e os retalhos cutâneos apresentam problemas, como o risco de não integração ou de necroses; e ainda determinam a formação de cicatrizes que, muitas vezes, são extensas ou inestéticas. Além disso, eles demandam um tempo operatório maior, sendo realizados em centro cirúrgico. A exérese simples do CBC nasal, seguida da cicatrização por segunda intenção e de cuidados cosmiátricos simples no pós-operatório, ressurge como alternativa válida para o tratamento destes tumores. MÉTODOS: Os autores vêm apresentar sua experiência com a técnica, discutindo as vantagens do método. No período de 4 anos, todos os pacientes submetidos à técnica foram acompanhados prospectivamente. RESULTADOS: Dos 23 pacientes operados, 12 foram acompanhados por 2 anos e incluídos na avaliação. O procedimento cirúrgico teve duração média de 21 minutos (+6) e foi realizado sem dificuldades. A evolução pós-operatória se deu sem intercorrências ou recidivas tumorais. CONCLUSÃO: A técnica empregada coloca-se como uma alternativa simples, segura e com excelentes resultados para o tratamento dos CBC nasais.

Palavras-chave: Carcinoma basocelular; Intenção; Cicatrização; Nariz; Neoplasias cutâneas.

 

Surgical treatment of skin cancer by the plastic surgeon

Marcelo Norio Inada
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(4):586-596 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: Skin cancer is the most common neoplasm in Brazil and it corresponds to 25% of all diagnosed malignant tumors. The best treatment is surgical resection in early stages. The disease is treated by a plastic surgeon along with a multidisciplinary team. The objective is to assess the effectiveness of surgical procedures performed by plastic surgeons to treat skin cancer. METHODS: We analyzed medical records of 404 patients operated on between February 2009 and December 2012. Data analyzed included gender, age, diagnosis, localization and evolution. RESULTS: Patients' mean age was 62 years. A total of 53% of patients had basal cell carcinoma, 25.5% melanoma and 15.1% squamous cell carcinoma. There was a predominance of women in basal cell carcinomas (56%) and melanoma (54%) and predominance of men in squamous cell carcinomas (61%). Basal cell carcinomas (92.99%) and squamous (72.13%) were predominant in the head and neck, melanoma predominated in the trunk region (36.89%) and in lower limbs (24.27%). We performed 67 surgeries with sentinel lymph node, with positivity in 14.93%. Patients with melanoma who had metastasis accounted for 7.76% and 2.91% patients died. CONCLUSION: Plastic surgeons are one of the important professionals for skin cancer treatment. These professionals are the most skilled one to perform reconstructions after tumor resections, because during education they learn repair concepts using grafts and flaps especially focused on aesthetic appearance of patients. They can also perform surgery for sentinel lymph node and offer follow-up to patients with skin cancer.

Keywords: Cutaneous neoplasms; Skin cancer; Carcinoma, basal cell; Carcinoma, squamous cell; Reconstructive surgical procedures.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: O câncer de pele é a neoplasia mais frequente no Brasil e corresponde a 25% de todos os tumores malignos. O melhor tratamento é a ressecção cirúrgica em fases iniciais. O cirurgião plástico, juntamente com uma equipe multiprofissional, participa no tratamento desta doença. O objetivo é analisar a eficácia dos procedimentos cirúrgicos realizados pelo cirurgião plástico no tratamento do câncer de pele. MÉTODO: Foram analisados 404 prontuários de pacientes operados no período de fevereiro de 2009 a dezembro de 2012 e analisados gênero, idade, diagnóstico, localização e evolução. RESULTADOS: Faixa etária com média de 62 anos. 53% de casos de carcinoma basocelular, 25,5% melanoma e 15,1% carcinoma espinocelular. Houve predomínio de mulheres nos carcinomas basocelulares (56%) e no melanoma (54%) e de homens nos carcinomas espinocelulares (61%). Os carcinomas basocelulares (92,99%) e espinocelulares (72,13%) tiveram sua predominância na região de cabeça e pescoço; enquanto o melanoma predominou em região de tronco (36,89%) e membros inferiores (24,27%). Foram realizadas 67 cirurgias com pesquisa de linfonodo sentinela, com positividade em 14,93%. 7,76% dos pacientes de melanoma apresentaram metástases e 2,91% vieram a óbito. CONCLUSÃO: O cirurgião plástico é um dos profissionais importantes para o tratamento do câncer de pele, sendo o mais apto para realizar as reconstruções após as ressecções tumorais, pois tem em sua formação os conceitos de reparação, utilizando-se de enxertos e retalhos e considerando o aspecto estético dos pacientes. Cabe-lhe também a realização da cirurgia de pesquisa de linfonodo sentinela e o seguimento dos pacientes com câncer de pele.

Palavras-chave: Neoplasias cutâneas; Câncer de pele; Carcinoma basocelular; Carcinoma de células escamosas; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

Reconstruction of the lower eyelid using a full-thickness upper eyelid transposition flap

JASON CÉSAR ABRANTES DE FIGUEIREDO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):260-263 - Ideas and Innovation

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: The best method to reconstruct an anatomical unit is to replace the injured area with the same tissues.
Methods: Three patients with basal cell carcinoma in the lower eyelid underwent full-thickness lower eyelid excision, followed by immediate reconstruction with a single-stage fullthickness transposition of the upper eyelid tissue.
Results: The patients had almost no complications, and the functions of total closure and protection of the eyeballs of the eyelids were maintained.
Conclusion: The flap proved to be feasible and is an alternative choice for reconstruction of the lower eyelid.

Keywords: Palpebral neoplasm; Surgical flap; Reconstructive surgical procedure; Basal cell carcinoma

 

RESUMO

Introdução: O melhor método para reconstruir uma unidade anatômica é substituir a área lesada pelos mesmos tecidos.
Métodos: Três pacientes que apresentavam carcinomas basocelulares na pálpebra inferior foram submetidos à excisão, seguida de reconstrução imediata com a transposição em espessura total de tecido da pálpebra superior em um só tempo.
Resultados: Os pacientes evoluíram quase sem complicações, as pálpebras mantiveram suas funções de fechamento total e proteção do globo ocular.
Conclusão: O retalho se mostrou factível e é mais uma alternativa para reconstruir a pálpebra inferior.

Palavras-chave: Neoplasias palpebrais; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Carcinoma basocelular

 

Nasolabial interpolation flap for nasal alar reconstruction after skin tumor resection

Rafael Luís SAKAI; Luis Carlos Vieira Tavares; Carlos Alberto Komatsu; Leão Faiwichow
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(2):217-221 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: The nose is a common site for skin neoplasms. Due to its functional and esthetic importance, nasal reconstruction, mainly that of the nose ala, is challenging. The objective is to describe the nasolabial interpolation flap for nasal alar reconstruction after skin tumor resection.
Methods: Patients with nonmelanoma skin tumors on the nasal ala without involvement of the alar and supra-alar sulcus underwent reconstruction with a nasolabial interpolation flap associated with conchal cartilage grafting. Details of the surgical planning and operative sequence and an analysis of the results are presented.
Resultados: In the treatment of skin tumors on the nasal ala, results from the oncological and esthetic point of view should be sought, i.e., maintenance of the three-dimensional structure and cutaneous features should be intended.
Conclusion: Use of the nasolabial interpolation flap was effective for nasal alar reconstruction despite the need for two surgeries.

Keywords: Nose; Reconstructive surgical procedures; Surgical flaps; Skin neoplasms

 

RESUMO

Introdução: O nariz é sede frequente de neoplasias cutâneas. Pela importância estético-funcional, a reconstrução do nariz, em especial da asa nasal, é um desafio. O objetivo é descrever o retalho nasogeniano de interpolação na reconstrução da asa nasal após ressecção de tumores cutâneos.
Métodos: Pacientes com tumores de pele não melanoma de asa nasal, sem comprometimento dos sulcos alar ou supra-alar, foram submetidos à reconstrução com retalho nasogeniano de interpolação associado a enxerto de cartilagem conchal. Detalhes do planejamento cirúrgico e da sequência operatória, assim como a análise dos resultados, são demonstrados.
Resultados: No tratamento de tumores de pele localizados na asa nasal, deve-se buscar resultados sob o ponto de vista oncológico e estético. Assim, a preservação da estrutura tridimensional e das características cutâneas da asa nasal deve ser objetivada.
Conclusão: O retalho nasogeniano de interpolação mostrou-se eficaz na reconstrução da asa nasal, apesar da necessidade de dois tempos cirúrgicos.

Palavras-chave: Nariz; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Retalhos cirúrgicos; Neoplasias cutâneas

 

Reconstrução total de pálpebra inferior em hospital universitário: série de casos

LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):45-46 - Articles

PDF Portuguese

RESUMO

As pálpebras atuam na proteção dos olhos, hidratação da córnea e na manutenção de uma visão adequada. Entretanto, diversos fatores podem contribuir com perda da função protetora das pálpebras, por exemplo, o processo natural de envelhecimento, os traumas ou as neoplasias. Quando em estágios avançados, o câncer pode acometer todas as lamelas da pálpebra, sendo a reconstrução adequada da pálpebra uma prioridade a fim de evitar complicações visuais. O objetivo deste trabalho é apresentar opções cirúrgicas de reconstrução total de pálpebra inferior realizadas em serviço terciário no segundo semestre de 2018. Trata-se de estudo retrospectivo observacional descritivo do tipo série de casos. A reconstrução de todo um segmento anatômico especializado e complexo como as pálpebras é desafiador. O reparo dos planos anatômicos mimetizando as lamelas com estruturação cartilaginosa e dos planos cutâneo e mucoso é essencial para restaurar a função palpebral perdida.

Palavras-chave: Neoplasias cutâneas; Retalhos cirúrgicos; Transplante autólogo; Cirurgia plástica; Carcinoma basocelular

 

Association of the Tripier myocutaneous flap to scapha cartilage graft: a surgical resource for reconstruction of full thickness defects of lower eyelids

Carlos Goyeneche Montoya; Mariane Campagnari; Andés Cánchica Cano; Andres Ordenes Evensen; Leonardo Gobetti; Osvaldo Saldanha; Eduard René Brechtbühl
Rev. Bras. Cir. Plást. 2020;35(1):109-112 - Case Report

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

The reconstruction of the secondary lower eyelid to a resection of skin cancer is a challenging surgical procedure that must be carefully planned with regards to issues related to lamella and extension of the resection. We present the case of a 69-year-old male patient who, after oncologic resection, presented a total thickness defect greater than 60% in the lower eyelid. For reconstruction, it was indicated that the use of Tripier's unipedic myocutaneous flap with scapha cartilage graft produced favorable results, which confirms that it is worthwhile using these techniques when planning lower eyelid reconstruction.

Keywords: Basal cell carcinoma; Skin neoplasia; Myocutaneous flap; Ear cartilage; Eyelids.

 

RESUMO

A reconstrução da pálpebra inferior secundária à ressecção de câncer de pele é um desafio cirúrgico e sua abordagem deve ser planejada por lamelas e extensão da ressecção. Apresentamos o caso de paciente do sexo masculino, 69 anos, que após a ressecção oncológica apresentou defeito de espessura total maior de 60% na pálpebra inferior. Para reconstrução foi indicada a associação do retalho miocutâneo unipediculado de Tripier com enxerto de cartilagem da escafa obtendo resultados favoráveis, mostrando que a associação destas técnicas é uma boa prática na hora de planejar a reconstrução da pálpebra inferior.

Palavras-chave: Carcinoma basocelular; Neoplasias cutâneas; Retalho miocutâneo; Cartilagem da orelha; Pálpebras

 

Impact of the Cancer Institute implantation in the treatment of skin cancer in Northwest São Paulo State Area

José Renato Barbieri Gallo, Eduardo Henrique Farias Monteiro, Rodrigo Humberto Pires Rossi, Felipe Pires Silveira Bicudo, Jorge Luiz Vanzella Seba, Gianni Mateus Zuanazzi, Rodrigo Martins Alves, Marcello Peron Rosa, Antônio Roberto Bozola
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(3):362-367 - Original Article

PDF Portuguese

ABSTRACT

Introduction: The growing numbers of the skin neoplasms have been appreciating the knowledge and the capacity of Plastic Surgery professionals concerning the accomplishment of therapeutic procedures that involves the surgical remove of those malignant lesions and the affected areas reconstruction. The Cancer Institute (ICA) implantation, close to the clinical compound of São José do Rio Preto - SP, promoted a complete restructuring that reached as from the reception to the postoperative monitoring of the skin cancer bearers of São Paulo northwest state area. Objective: Two years later the ICA activities beginning, it was achieved a study with the scope of define the assisted patients' epidemiological profile, to observe changes in the accomplished therapeutic conducts and postoperative continuation results obtained, trying to measure the real impact of the implantation of this service in the context of the skin cancer in our region. Methods: The research was divided in two stages: first - retrospective 93 patients' handbooks were analyzed, only in relation to the patients who had histopathological diagnosis of cutaneous cancer (non-melanoma) and who were treated before the ICA activities had started. Second - prospective protocols of consultation, conduct and following were applied to the patients leaded to the ICA Plastic Surgery Service, being 102 submitted to the analysis. Results: The results showed that the epidemiological profile is similar than the other places and that the real impact of ICA was to promote a significant decrease of incomplete resections, a rude cost reduction, follow up standardization and increase of prevention attitudes.

Keywords: Skin neoplasms. Carcinoma, basal cell. Carcinoma, squamous cell. Cancer care facilities.

 

RESUMO

Introdução: Os números crescentes das neoplasias de pele têm valorizado o conhecimento e a capacidade dos profissionais em Cirurgia Plástica acerca da realização de procedimentos terapêuticos envolvendo a retirada cirúrgica dessas lesões malignas e a reconstrução das áreas afetadas. A implantação do Instituto do Câncer (ICA), junto ao complexo ambulatorial e hospitalar de São José do Rio Preto - SP, promoveu uma reestruturação que atingiu desde a captação até o acompanhamento pós-operatório dos pacientes portadores de neoplasias de pele da região noroeste paulista. Objetivo: Dois anos após o início das atividades do ICA, foi realizado um estudo com o objetivo de definir o perfil epidemiológico dos pacientes atendidos, observar mudanças nas condutas terapêuticas realizadas e nos resultados obtidos após seguimento, procurando quantificar o real impacto da implantação deste serviço no panorama das neoplasias de pele nesta região. Método: O estudo foi dividido em duas etapas: na primeira, retrospectiva, foram analisados 93 prontuários de pacientes com diagnóstico histopatológico de câncer cutâneo não-melanoma, tratados antes do início das atividades do ICA. Na segunda, prospectiva, foram aplicados protocolos de atendimento, conduta e seguimento aos pacientes encaminhados ao Serviço de Cirurgia Plástica do ICA, sendo 102 pacientes submetidos a análise. Resultados: Os resultados demonstraram que o perfil epidemiológico é semelhante ao encontrado em outras regiões do país e que o real impacto da implantação do ICA foi promover uma queda significativa no número de ressecções incompletas, redução brutal dos custos para o SUS, padronização no seguimento pós-operatório e expressiva melhora das práticas de prevenção do câncer de pele.

Palavras-chave: Neoplasias cutâneas. Carcinoma basocelular. Carcinoma de células escamosas. Institutos de Câncer.

 

Utilização da sutura reabsorvível em ácido polilático no remodelamento da face

Mariana Angelica Berardi Cioffi; Gabriela Diesel Silveira; Geraldo Machado Filho; Pedro Salomão Piccinini; Milton Paulo Oliveira; Marcos Ricardo de Oliveira Jaeger
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):50-52 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: Com o aumento na procura de tratamentos não invasivos para o rejuvenescimento facial, os fios de sustentação facial de material absorvível vêm se tornando uma opção considerável, já que podem ser utilizados em ambiente não hospitalar sob anestesia local. Podem ser utilizados em pacientes a partir dos 30 anos, com certa flacidez facial, que ainda não desejam procedimentos invasivos. O objetivo é demonstrar a utilização do fio de ácido polilático absorvível na reestruturação de elementos da face e comparar com os dados da literatura relacionada ao assunto. MÉTODOS: Paciente feminina, 48 anos de idade, com queixas de perda de definição do contorno da região da mandíbula. Não desejava se submeter a um procedimento cirúrgico por receio de parecer ter "rosto de operada". O procedimento foi executado no consultório sob anestesia local nos pontos de entrada da sutura, sendo utilizados dois fios de cada lado com 8 cones em cada extremidade. A tração dos fios é iniciada com o paciente semissentado, em posição confortável, de forma que ela mesma possa se observar, logo após a tração. RESULTADOS: A paciente demonstrou satisfação com o resultado obtido. Foi utilizado o teste FACE-Q para avaliação de resultados. Assim como a avaliação fotográfica comparativa com antes e depois do procedimento. As suturas de fios de ácido polilático no Brasil ficaram conhecidas pelo nome comercial - Silhouette®. Uma das principais vantagens do método não cirúrgico é o tratamento de sinais leves a moderados de envelhecimento facial e que ainda não possam ser submetidos a procedimentos mais invasivos, ou quando o paciente não deseja o estigma da cicatriz. Existem relatos de que estes fios podem estimular a produção de colágeno na face, mas ainda requer mais estudos sobre o tema. Apresenta um tempo de duração de resultados superior aos outros métodos minimamente invasivos disponíveis no mercado, e um índice de complicações relativamente baixo. CONCLUSÃO: O fio de ácido polilático permitiu o reposicionamento das estruturas da face na paciente avaliada. É um procedimento rápido, realizado em consultório, o que torna o método mais acessível comparado aos métodos cirúrgicos convencionais.

Palavras-chave: Face; Suturas; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Estética; Âncoras de sutura.

 

Micrographic surgery in the treatment of microcystic adnexal carcinoma

Augusto César de Melo Almeida; Aloísio Ferreira da Silva Filho; José Carlos Ribeiro Resende Alves; Raissa Lemos Ferreira da Silva
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(3):428-432 - Case Report

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Microcystic adnexal carcinoma is an uncommon, locally aggressive eccrine sweat gland tumor that is easily confused with benign adnexal tumors and has a high rate of recurrence after incorrect treatment. The present study was aimed at increasing awareness on the importance of knowing and properly managing this disease among plastic surgeons by using Mohs micrographic surgery. A literature review from 1982 to January 2014 and a prospective case study of a microcystic adnexal carcinoma treated with Mohs micrographic surgery, at the plastic surgery clinic of Felício Rocho Hospital in March 2011, were performed. First described in 1982, microcystic adnexal carcinoma now has at least 700 cases reported in the international literature. The case reported herein was treated with Mohs micrographic surgery, including a 3-year follow-up without recurrence. In conclusion, Mohs micrographic surgery is an excellent therapeutic tool to preserve vital tissues and ensure a reduced recurrence rate.

Keywords: Mohs surgery; Cutaneous tumor; Surgical flaps.

 

RESUMO

Carcinoma microcístico anexial é uma neoplasia de glândulas sudoríparas écrinas incomum, localmente agressivo. Facilmente confundido com tumores anexiais benignos e com alto índice de recidiva após tratamento incorreto. O objetivo é divulgar aos cirurgiões plásticos a importância do conhecimento e manejo correto desta afecção com utilização da cirurgia micrográfica de Mohs. Foi realizada revisão da literatura de 1982 a janeiro de 2014 e análise prospectiva de um caso de carcinoma microcístico anexial conduzido na Clínica de Cirurgia Plástica do Hospital Felício Rocho em março de 2011, utilizando a cirurgia micrográfica de Mohs. Descrito em 1982, menos de 700 casos de carcinoma microcístico anexial relatados na literatura mundial. O caso apresentado foi tratado com o uso da cirurgia micrográfica de Mohs, com seguimento 3 anos sem recidiva. Podemos concluir que a cirurgia micrográfica de Mohs é um excelente arsenal terapêutico, com menor índice de recidiva e preservação de tecidos vitais.

Palavras-chave: Cirurgia de Mohs; Neoplasias cutâneas; Retalhos cirúrgicos.

 

Reconstrução imediata do couro cabeludo com retalho de transposição baseado na artéria temporal superficial pós-ressecção oncológica

Diego Fernando Villagra Avila; Inara do Carmo Lucchese; Estevão José Muller Uliano; Daniel Ongaratto Barazzetti; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):62-64 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: Os tumores mais comuns envolvendo o couro cabeludo incluem carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma maligno. A ressecção desses tumores pode causar defeitos variados e complexos. Há vários algoritmos para o tratamento desses defeitos. A reconstrução ideal irá depender da avaliação criteriosa de cada caso de acordo com diversos fatores. A técnica escolhida para a reconstrução deve priorizar o melhor resultado funcional e estético possível, com mínimo de morbidade do sítio doador. MÉTODOS: Relato de caso. Foram revisados o prontuário e os registros fotográficos de um caso de reconstrução imediata com retalho local após ressecção de tumor de couro cabeludo, e realizada revisão bibliográfica. RESULTADOS: Paciente foi submetido à ressecção de tumor de couro cabeludo e à reconstrução imediata com retalho local, com evolução favorável. CONCLUSÃO: Existem diversas opções para a reconstrução do escalpo, sendo o retalho local de transposição baseado na artéria temporal superficial, seguida de enxertia da área doadora, uma excelente opção de reconstrução do couro cabeludo.

Palavras-chave: Reabilitação; Neoplasias cutâneas; Carcinoma basocelular; Couro cabeludo.

 

Utilização da cirurgia com margens cutâneas mínimas - cirurgia de Mohs - no tratamento das neoplasias malignas não melanocíticas de pele

André Valiente Nectoux; José Henrique Guimarães Floriani; Tassiana Amado de Paula; Thalia Nunes dos Santos; Gabriela Agne Magnus; Marcos Ricardo de Oliveira Jaeger
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):84-86 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

O câncer de pele é a neoplasia maligna mais frequente no Brasil, sendo o carcinoma basocelular o mais prevalente. A área afetada por esta afecção é frequentemente local sensível à preservação tecidual. Durante o desenvolvimento do tratamento cirúrgico destas lesões, foram propostas abordagens que contemplavam esta característica, dentre elas, a cirurgia com margens cutâneas mínimas - cirurgia de Mohs - destaca-se pela efetividade de cura. Esta revisão visa abordar a factibilidade desta abordagem no Brasil. A cirurgia de Mohs apresenta efetividade de cura compatível com outras técnicas, tendo a superioridade da preservação de tecidos e tratamento definitivo imediato, ao passo que apresenta custo e complexidade de realização superiores.

Palavras-chave: Cirurgia de Mohs; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Carcinoma basocelular; Neoplasias cutâneas; Estética; Face.

 

O porquê da plicatura de smas como primeira opção em serviço de residência médica

Lucas Cunha de Andrade; Pedro Henrique Casavechia; Leilane Droppa Appel; Rafael Reston; Dayson Luiz Nicolau
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):95-97 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: O lifting facial é uma cirurgia que continua em crescimento e há inúmeras opções de técnicas para sua execução. Devido à complexidade anatômica e cirúrgica destes procedimentos, o médico residente se depara com grande temor no aprendizado inicial de ritidoplastias. A plicatura do sistema musculoaponeurótico superficial da face (SMAS), por mobilizar menos tecido e ser em plano superficial a estruturas nobres, possibilita menos complicações e mesmo assim apresenta resultados satisfatórios aos pacientes. MÉTODOS: Levantamento de casos operados entre março a dezembro de 2016, avaliar o grau de satisfação das pacientes, por meio de questionário com pontuação, e descrever complicações encontradas no pós-operatório de pacientes. RESULTADOS: 17 dos 19 pacientes estavam satisfeitos (90%) com o resultado estético da cirurgia, sendo atribuída uma nota média dentre todos de 8,2 (muito satisfeitos). Como complicações, 3 evoluíram com hematoma (15%), 1 com necrose retroauricular (5%) e 1 com deiscência pós tragal (5%). CONCLUSÃO: A plicatura do SMAS é uma técnica segura, tem menor curva de aprendizado, baixa incidência de complicações e obtém um bom índice de satisfação pelos pacientes, sendo uma ótima opção de técnica para treinamento inicial de liftings faciais em serviço de residência médica.

Palavras-chave: Ritidoplastia; Face; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Estética; Rejuvenescimento.

 

Support

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license