ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Showing of 1 until 20 from 32 result(s)

Search for : Melanoma amelanótico; Cavidade nasal; Metástase neoplásica; Reabilitação

The accuracy of rhinometry in the evaluation of the nasal valve: study in 385 patients

Alexandre Piassi Passos, Nivaldo Alonso, Karen Utsunomia, Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(3):262-264 - Original Article

PDF Portuguese

ABSTRACT

Introduction: Acoustic rhinometry (RA) is evaluates area and volume of regions above the nose. The beginning of rhinogram presents two notches: the second is the cross-sectional area of the nasal valve (ASM2). The purpose of this study is to evaluate the nasal valve, which limits the area for greater resistance to nasal airflow, about half the total resistance in patients with and without nasal respiratory complaint. Methods: The study included 385 patients in this study, 93 with functional complaint. We use the apparatus of the acoustic rhinometry Rhinometrics, the Rhino Scan 2.5. The graphics were stored and ASM2 (examination with vasoconstrictor) were analyzed to determine the parameters of rhinometry in patients with and without functional complaint. Results: 224 patients with ASM2> 0.40 cm2 without complaint functional, 68 patients with ASM2 between 0.25 and 0.40 cm2 without complaint functional and 93 patients with functional complaint, being 28 between 0.25 and 0.40 cm2 and 65 <0.25 cm2. Discussion: The findings show that no patient with ASM2 greater than 0.40 cm2 have functional complaint, which qualify as the internal nasal valve functioning, and no patient with ASM2 less than 0.25 cm2 can breathe properly, which leads to a condition called insufficient valve. Some patients with ASM2 between 0.25 and 0.40 cm2 have complained functional, while others do not, therefore, the nasal valve with a figure of cross-sectional area are classified as borderline. Conclusion: The Rhinometry is the only method that assesses the failure of internal nasal valve so objective.

Keywords: Rhinometry, Acoustic/methods. Nasal cavity. Nose.

 

RESUMO

Introdução: A rinometria acústica (RA) avalia área e volume de regiões anteriores do nariz. O início do rinograma apresenta dois entalhes: o segundo corresponde à área de secção transversa da válvula nasal (ASM2). O objetivo deste estudo é avaliar a válvula nasal. Método: Foram incluídos neste estudo 385 pacientes, 93 com queixa funcional. Utilizamos o aparelho de rinometria acústica da Rhinometrics, o Rhino Scan 2.5. Os gráficos foram armazenados e a ASM2 (exame com vasoconstrictor) foi analisada para determinar os parâmetros da rinometria nos pacientes com e sem queixa funcional. Resultados: Dentre os pacientes avaliados, observamos: 224 pacientes com ASM2 > 0,40 cm2 sem queixa funcional, 68 pacientes com ASM2 entre 0,25 e 0,40 cm2 sem queixa funcional e 93 pacientes com queixa funcional, sendo 28 entre 0,25 e 0,40 cm2 e 65 < 0,25 cm2. Discussão: Os resultados observados demonstram que nenhum paciente com ASM2 maior do que 0,40 cm2 tem queixa funcional, o que permite classificar a válvula nasal interna como funcionante, assim como nenhum paciente com ASM2 menor do que 0,25 cm2 consegue respirar adequadamente, o que leva a uma condição de válvula denominada insuficiente. Alguns pacientes com ASM2 entre 0,25 e 0,40 cm2 apresentaram queixa funcional, enquanto outros não, portanto, as válvulas nasais com este valor de área de secção transversa são classificadas como limítrofes. Conclusão: Rinometria é o único método que avalia a insuficiência da válvula nasal interna de maneira objetiva.

Palavras-chave: Rinometria acústica/métodos. Cavidade nasal. Nariz.

 

The Use of Osteointegrated Implants Craniofacial Deformities

Alexandre Katalinic Dutra, Luciano Lauria Dib, Marcos Martins Curi, Joaquim Augusto Piras de Oliveira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2000;15(2):15-26 - Articles

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Craniofacial deformities are a challenge for multidisciplinary teams. The treatment requires complex surgeries, performed by stages. The cosmetic results are limited due to the innumerous details of the face. A new and interesting alternative for the treatment of craniofacial defonnities consists in using osteointegrated implants as anchoring elements for prosthesis. This article deals with the conditions and results of osteointegrated implants and prosthesis carried out at Hospital A. C. Camargo - Fundação Antônio Prudente (SP) from 1995 to 1999, totaling 33 osteointegrated implants in 12 patients.

Keywords: Craniofacial implants; osteointegration; rehabilitation; craniofacial deformities

 

RESUMO

As deformidades craniofaciais são um desafio para as equipes multidisciplinares. O tratamento requer cirurgias complexas e realizadas em etapas. Os resultados estéticos são limitados perante a riqueza de detalhes que as regiões da face exigem. Uma nova e interessante alternativa de tratamento das deformidades craniofaciais é a aplicação de implantes osteointegrados como elementos de sustentação para próteses. Este trabalho discorre sobre as condições e os resultados dos implantes osteointegrados e próteses feitos no Hospital A. C. Camargo - Fundação Antônio Prudente (SP), no período de 1995 a 1999, com um total de 33 implantes osteointegrados em 12 pacientes.

Palavras-chave: Implantes craniofaciais; osteointegração; reabilitação; deformidades craniofaciais

 

Early active mobilization after flexor tendon repair in zone 2

Jefferson Braga-Silva, Pedro Djacir Escobar Martins, Javier Román, Daniel Gehlen
Rev. Bras. Cir. Plást. 2005;20(4):207-212 - Original Article

PDF Portuguese

ABSTRACT

Background: The first cause of bad results after flexor tendon repair is scar adhesions. An early mobilization protocol could help to reduce those adhesions under the increased risk of tendon rupture. This study aims to evaluate the functional results after flexor repair in zone 2. Method: A number of 136 hand flexor tendons were repaired in zone 2, in a total number of 82 patients, all of them with only one finger affected, with a total rupture of both flexor tendons in the case of long fingers or the flexor pollicis longus in the case of thumb, managed under an early active flexion -extension protocol. The results were based on both the International Federation of Societies for Surgery of the Hand (IFSSH) and the Strickland's systems of evaluation. The results of long fingers and thumbs were analysed separately. Results: The results of the long fingers group were excellent (72.2%), good (26.0%) and fair (1.9%), according to the Strickland's standards and were good (81.5%), fair (16.6%) and poor (1.9%), according to the IFSSH standards. The results of the thumbs group were excellent (96.4%) and fair (3.6%), according to the Strickland's standards and were excellent (82.1%), good (14.3%) and poor (3.6%), according to the IFSSH standards. A rupture rate was 6.09%, nevertheless functional results of reoperated patients was satisfactory. Conclusions: This study corroborates evidence that postoperative programs that incorporate early active motion (flexion/ extension) can produce good results after flexor tendon repair in zone 2 in a single digit injury.

Keywords: Tendon injuries, surgery, rehabilitation. Finger injuries, surgery, rehabilitation

 

RESUMO

Introdução: A primeira causa de maus resultados após uma reparação de tendão flexor em zona 2 é a formação de aderências. Um protocolo de mobilização precoce poderia ajudar a diminuir tais aderências, sob risco de aumentar a taxa de rupturas. Este estudo objetiva avaliar o resultado funcional do reparo de lesões de flexores na zona 2. Método: Foram tratados 136 tendões flexores da mão, na zona 2, em 82 pacientes, todos com lesões unidigitais, com secção completa de ambos os tendões, no caso dos dedos largos, o do flexor pollicis longus, no caso de polegar, submetidos a um protocolo de flexão e extensão ativa precoce. Os resultados foram classificados segundo a International Federation for Societies for Surgery of the Hands (IFSSH) e pela classificação de Strickland. Resultados: Os resultados funcionais dos dedos longos foram excelentes (72,2%), bons (26,0%) e regulares (1,9%), de acordo com a classificação de Strickland e bons (81,5%), regulares (16,6%) e pobres (1,9%), segundo a classificação da IFSSH. Os resultados do polegar foram excelentes (96,4%) e regulares (3,6%), de acordo com a classificação de Strickland e excelentes (82,1%), bons (14,3%) e pobres (3,6%), de acordo com a classificação da IFSSH. A taxa de ruptura foi de 6,09% ; não obstante, os resultados funcionais dos pacientes reoperados foram satisfatórios. Conclusões: O presente estudo sugere que o protocolo de mobilização ativa precoce no pós-operatório das tenorrafias de flexores da mão em zona 2 pode proporcionar bons resultados funcionais em lesões no dedo único.

Palavras-chave: Traumatismo dos tendões, cirurgia, reabilitação. Traumatismo dos dedos, cirurgia, reabilitação

 

Thoracic wall reconstruction using myocutaneous and fasciocutaneous flaps in patients with locally advanced and metastatic breast cancer

JOEL ABDALA; ALEXANDRE KATALINIC DUTRA; MAURICIO CASTELO DOMINGUES; EDUARDO KOITI YOSHIMATSU
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(4):469-477 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: Breast cancer is the most common cancer among women worldwide. Locally advanced breast cancer is characterized by clinical stage IIIb or IV and accounts for 20- 25% of all cases. Defects are reconstructed using myocutaneous and fasciocutaneous flaps, primarily from the latissimus dorsi and rectus abdominis muscles. The objective is to evaluate the results of thoracic wall reconstructions in cases of locally advanced breast cancer using fasciocutaneous and myocutaneous flaps.
Methods: This was a retrospective, observational, and descriptive single-center study. Variables studied included defect size and flap dimensions, myocutaneous flap type, presence of cutaneous and visceral metastasis, postoperative evolution, and complications.
Results: We selected 11 patients with a mean age of 49 years; the left side was the most commonly affected. The most common tumor type was invasive ductal carcinoma. The flaps were made of latissimus dorsi VY (LDVY) in two patients, latissimus dorsi associated with thoracoabdominal flaps (LDVYTA) in two, vertical rectus abdominus myocutaneous flap (VRAM) in four, and thoracoabdominal flaps (TA) in three. The mean defect area was 421.72 cm2, while the mean flap area was 451 cm2. The most frequent complication was partial dehiscence (seven patients). Six patients achieved lethal exit. VRAM flaps presented more complications. The mean survival for VRAM was 25.5 months, LDVY was 17 months, TA was 17 months, LDVYTA was 20.5 months.
Conclusion: Myocutaneous and fasciocutaneous flaps are effective for chest wall reconstruction after locally advanced breast cancer resection.

Keywords: Reconstructive surgical procedures; Thoracic wall; Breast neoplasms; Myocutaneous flap; Neoplasm metastasis; Fascia

 

RESUMO

Introdução: Câncer de mama localmente avançado é caracterizado pelos estádios clínicos IIIb ou IV e representam de 20 a 25% de todos os casos. A reconstrução dos defeitos é feita com retalhos musculocutâneos e fasciocutâneos, sendo os mais utilizados o latíssimo do dorso e o reto abdominal. O objetivo é avaliar resultados das reconstruções de parede torácica em câncer de mama localmente avançados com retalhos musculocutâneos e fasciocutâneos.
Métodos: Estudo retrospectivo, observacional descritivo, em único centro. Variáveis estudadas: dimensões do defeito e do retalho, tipo de retalho utilizado para a reconstrução, metástases cutâneas e viscerais, evolução pós-operatória e complicações.
Resultados: 11 pacientes, com média de idade de 49 anos, com o lado esquerdo mais acometido. O tipo tumoral mais encontrado foi o carcinoma ductal invasivo. Os retalhos realizados foram: 2 latíssimos do dorso com desenho VY (LDVY), 2 latíssimos do dorso associados a retalho toracoabdominal (LDVYTA), 4 verticais do músculo reto do abdome (VRAM) e 3 toracoabdominais (TA). A área média dos defeitos foi 421,72cm2 e a área média dos retalhos utilizados foi de 451cm2. A complicação mais frequente foi deiscência parcial da ferida operatória, presente em 7 pacientes. Da amostra, 6 pacientes atingiram êxito letal. VRAM foi o retalho que apresentou mais complicações. A sobrevida média para VRAM foi de 25,5 meses, para LDVY de 17 meses, TA de 17 meses e LDVYTA de 20,5 meses.
Conclusão: Os retalhos musculocutâneos e fasciocutâneos são eficazes para a reconstrução da parede torácica após a ressecção de neoplasias mamárias localmente avançadas.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Parede torácica; Neoplasias da mama; Retalho miocutâneo; Metástase neoplásica; Fáscia

 

Three-dimensional computed tomography (multislice) in the previous diagnosis of the nasal deformities

Aymar Sperlt; Marcelo Secaf; Marco Antonio Junqueira Figueiredo; Renato Anthero Fernandes
Rev. Bras. Cir. Plást. 2008;23(4):281-289 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: Aware to the new technique for diagnosis denominated tomography multislice, whose quality of images and anatomical details surprised us, we developed a research and scientific work comparing the tomographical images to the patients' previous pictures and the trans-operative images, all done inside of patterns pre-established in the positions: front (AP), profile, fronto-naso and mento-naso. Objective: Those standardized positions were confronted in the three levels (static and dynamic) of depth that multislice propitiates: superficial (cutaneous level); medium (alar cartilages, square and lateral superior or triangular cartilages) and deep level (bone). Methods: Were selected six patients: four patients candidates to primary rhinoplasty and two for secondary rhinoplasty. Due to the excellence of the comparative results, now we request this preoperative resource, practically to all the cases in that we will accomplish rhinoplasties. Results: Fidelity was verified among the tomographic multislice images, when compared with the trans-operative images and the preoperative pictures. Conclusions: This study is very usefull for young plastic surgeons, as well as in special cases were is needed pre-operative details.

Keywords: Tomography, X-ray computed/methods. Nose /abnormalities. Nasal cavity/ radiography. Nasal bone/radiography.

 

RESUMO

Introdução: O recurso diagnóstico denominado tomografia multislice, apresenta qualidade de imagens e detalhamento anatômico surpreendentes. Procurou-se fazer um trabalho comparando as imagens tomográficas às fotografias prévias dos pacientes e às imagens transoperatórias, todas feitas dentro de padrões preestabelecidos, nas posições: frente (AP), perfil, fronto-naso e mento-naso. Objetivo: Comparar as posições padronizadas confrontando- se nos três planos (estáticos e dinâmicos) de profundidade que a tomografia multislice nos propicia: plano superficial (relevo cutâneo); plano médio (cartilagens alar, quadrangular e lateral superior ou triangular) e plano profundo (ósseo). Método: Foram selecionados seis pacientes: quatro pacientes candidatos a rinoplastia primária e dois de rinoplastia secundária, que fizeram parte do corpo do trabalho. Resultados: Verificou-se fidelidade entre as imagens tomográficas multislice, quando comparadas às imagens transoperatórias e as fotos préoperatórias. Conclusão: Este estudo é de grande valia para jovens cirurgiões plásticos ou mesmo em casos de minucioso diagnóstico pré-operatório.

Palavras-chave: Tomografia computadorizada por raios X/métodos. Nariz/anormalidades. Cavidade nasal/radiografia. Osso nasal/radiografia.

 

Factors that influence the outcome of zone II flexor tendon repairs

Kátia Tôrres Batista, Edilberto Assumpção de Araújo
Rev. Bras. Cir. Plást. 2007;22(1):45-51 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: To evaluate the factors that influenced the clinical results of zone II flexor tendon repairs, the authors present treatment results for 56 delayed such injuries, using techniques in one and two times. Method: For single time, we used tendon graft, a staged flexorplasty, silicon rod and Paneva Hollevich technique, followed by tendon graft in second time. Technique details are given and compare our results with those in literature. Results: A number of 22 (39.3%) cases were resulted excellent and good and 34 (60.7%) regular and poor, following Strickland classification. The results are influenced by the age, injury degree, Boyes' classification, physiotherapy program and the time between the injury and reconstruction. Conclusion: We concluded that this technique enabled the recovery of 50% of the fingers flexion capacity in 78% of the most serious injuries of the flexor tendon.

Keywords: Flexor tendons, Finger injuries surgery. Rehabilitation

 

RESUMO

Introdução: Com o objetivo de avaliar os fatores que influenciaram nas reconstruções tardias de tendão flexor na zona II de Verdan, os autores apresentam os resultados do tratamento de 56 lesões. Método: Utilizaram-se técnicas em um e dois estágios. Na primeira, pelo enxerto de tendão palmar longo e, na segunda, pelo implante de prótese de silicone e técnica de Paneva Hollevich, seguido de enxerto de tendão no segundo tempo cirúrgico. Os detalhes da técnica e os resultados são apresentados e comparados aos da literatura. Resultados: Obtiveram-se 22 (39,3%) resultados excelentes e bons e 34 (60,7%) regulares e pobres, conforme a classificação de Strickland. Os resultados foram influenciados pela idade, grau de lesão, na classificação pré-operatória de Boyes, programa fisioterápico e o tempo entre a lesão e a reconstrução. Conclusão: Concluiu-se que, com esta técnica, foi possível a recuperação de 50% da capacidade de flexão dos dedos em 78% das lesões mais graves do aparelho flexor.

Palavras-chave: Tendões flexores. Traumatismos dos dedos, reabilitação

 

Surgical rehabilitation for facial paralysis

KÁTIA TÔRRES BATISTA, ALEXANDRE FALEIROS CAUHI
Rev. Bras. Cir. Plást. 2007;22(4):253-260 - Review Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Facial palsy is the most common cranial neuropathy. It is expressed clinically as a dysfunction of the facial expression. For many years, the surgical reanimation of facial movements and above all of the facial expression has been a challenge for plastic and microsurgeons. In this article, the authors present a review of the literature on surgical rehabilitation of facial paralysis. Many procedures have been used and still today the results are limited. Despite the need of a multidisciplinary team, the plastic surgeon has prominent role in facial surgical rehabilitation.

Keywords: Facial paralysis. Facial nerve. Facial expression. Rehabilitation

 

RESUMO

A paralisia do nervo facial é a neuropatia craniana mais comum. Clinicamente se observa a disfunção da expressão facial. Por muitos anos, a restauração cirúrgica dos movimentos faciais, principalmente da expressão facial, tem sido um grande desafio para os cirurgiões plásticos e microcirurgiões. Neste artigo, os autores apresentam uma revisão da literatura sobre a reabilitação cirúrgica da paralisia facial. Apesar da necessidade de uma equipe multidisciplinar, o cirurgião plástico tem papel fundamental na reabilitação cirúrgica facial. Vários procedimentos já foram empregados, e ainda hoje os resultados obtidos na recuperação da expressão facial têm se mostrado limitados.

Palavras-chave: Paralisia facial. Nervo facial. Expressão facial. Reabilitação

 

Melanoma do seio da mucosa nasal: caso clínico

Melizza Colello; Noel Fraga; Natalia Cortabarría
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):31-33 - Contorno Corporal

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: O melanoma é a transformação neoplásica maligna dos melanócitos. São neoplasmas malignos muito agressivos e de mau prognóstico, razão pela qual sua detecção e seu tratamento precoces são fundamentais. Dentre os melanomas, 10% daqueles que se localizam no rosto e no pescoço são da mucosa. O melanoma nasossinusal é um tumor muito agressivo, que corresponde a menos de 1% de todos os melanomas. OBJETIVO: Conhecer o melanoma cutâneo, amelânico, topografado na região nasossinusal, por meio de um caso clínico. MÉTODOS: Paciente de 72 anos, do sexo feminino, com antecedente de resseção de um tumor nasossinusal com diagnóstico de melanoma amelânico e que apresenta, depois de 2 anos, uma tumoração na pálpebra inferior. RESULTADOS: Feita uma resseção da tumoração na pálpebra, depois de realizada uma biópsia que revela um melanoma amelânico e, posterior reconstrução com retalho cervicofacial. Estuda-se uma extensão da lesão, regional e sistêmica, encontrando-se uma recidiva nos referidos níveis. CONCLUSÃO: Trata-se de um tumor pouco frequente, agressivo, com capacidade de dar metástases regionais e sistêmicas e alta recorrência local, regional e à distância.

Palavras-chave: Melanoma amelanótico; Cavidade nasal; Metástase neoplásica; Reabilitação.

 

Reconstrução total de couro cabeludo: relato e experiência de dois casos

Estevão José Müller Uliano; Inara do Carmo Lucchese; Diego Fernando Villagra Avila; Mackerley Bleixuvehl de Brito; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):53-55 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: O escalpelamento, ato de remover uma parte do escalpo, pode ser facilmente causado por diversos mecanismos como trauma, queimadura, infecção, ablação cirúrgica de tumores e lesões congênitas. Há diversas opções de reconstruções relatadas na literatura. OBJETIVO: Relatar dois casos de escalpelamentos atendidos e tratados em um Hospital Universitário. MÉTODOS: Os dois casos de escalpelamento foram tratados com enxerto autólogo em diversos tempos cirúrgicos até a total cobertura da área lesionada. RESULTADOS: Obteve-se resultado satisfatório após as cirurgias de enxertia de pele nas áreas lesionadas de ambos os casos tratados. CONCLUSÃO: O enxerto autólogo mostrou-se uma opção viável na reconstrução do couro cabeludo.

Palavras-chave: Reabilitação; Couro cabeludo; Face.

 

Syndactyly after hand burn

Luiz Mário Bonfatti Ribeiro; Vicente Scopel de Morais; Flávio Amoretti Fachlnelli
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(1):130-132 - Original Article

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

INTRODUCTION: Syndactyly caused by burns to the hand is a severe and disabling sequel that limits hand function. In most cases, it results from poor scar orientation during the acute phase of the burn. This article describes the systematic technique adopted by our institution to treat this sequel, and establishes normal parameters to be investigated and surgical techniques. METHODS: Between January 2009 and December 2012, 150 patients with syndactyly caused by burns to the hand underwent reconstructive surgery. The following 4 surgical steps were used to treat all patients: preparation of the dorsal flap; syndactyly release; migration and suturing of the flap to its new position; and skin graft to fill the remaining spaces. RESULTS: There was graft survival in 100% of cases. Partial graft loss occurred 20 cases, and there were no cases of local infection. All patients recovered their hand function, including the ability to hold, and digital abduction. CONCLUSIONS: Syndactyly after burns is extremely limiting to the patient. The use of basic techniques of flaps and grafts results in successful treatment, restoring hand function compromised by the injury.

Keywords: Burns/complications. Burns/rehabilitation. Hand. Syndactyly/surgery.

 

RESUMO

INTRODUÇÃO: A sindactilia por queimadura é uma sequela grave e incapacitante, e limita a função preensora da mão. Na maioria dos casos, é decorrente de má orientação cicatricial na fase aguda da queimadura. O objetivo deste artigo é descrever sistematização técnica adotada em nossa instituição, estabelecendo parâmetros de normalidade a serem buscados e técnicas cirúrgicas que auxiliem no tratamento. MÉTODO: No período de janeiro de 2009 a dezembro de 2012, 150 pacientes portadores de sindactilia decorrente de queimadura da mão foram submetidos a cirurgia reparadora. Em todos os pacientes, foram adotadas 4 etapas cirúrgicas: confecção do retalho dorsal; liberação da sindactilia; migração e sutura do retalho dorsal para sua nova posição interdigital; enxertia dos gaps com pele total, preenchendo os espaços remanescentes. RESULTADOS: Em 100% dos casos houve total sobrevivência dos retalhos, com perda parcial de enxerto em 20 pacientes e nenhum caso de infecção local. Em todos os pacientes dessa série foi observada recuperação da função da mão, com capacidade de preensão e de abdução digital restauradas. CONCLUSÕES: A sindactilia pós-queimadura é uma deformidade extremamente limitante ao paciente. O emprego de técnicas básicas de retalhos e enxertos proporcionou sucesso no tratamento, com restauração da função da mão, comprometida pela lesão.

Palavras-chave: Queimaduras/complicações. Queimaduras/reabilitação. Mãos. Sindactilia/cirurgia.

 

Tecido de granulação hipertrófico: série de casos tratados com ácido tricloroacético a 75%

Estevão José Müller Uliano; Diego Fernando Villagra Avila; Inara do Carmo Lucchese; Carlo Mognon Mattiello; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):59-61 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: O tecido de hipergranulação é definido como um excesso de tecido de granulação que ultrapassa a superfície do epitélio normal. Há diversos métodos para o tratamento. Os casos no presente estudo foram tratados com ácido tricloroacético (ATA) na concentração de 75%. OBJETIVO: Relatar uma série de 5 casos utilizando o ácido tricloroacético na concentração de 75% no tratamento do tecido de hipergranulação. MÉTODOS: As feridas com granulação hipertrófica de 5 pacientes foram tratadas com ATA 75%, os pacientes eram seguidos semanalmente no ambulatório de cirurgia plástica e o número de sessões variou conforme a evolução dos casos. RESULTADOS: Foram tratados 5 pacientes que apresentavam tecido de granulação hipertrófico, com total resolução do tecido hipertrófico após o tratamento com ATA 75%. CONCLUSÃO: A aplicação do ATA é um método prático, efetivo e de baixo custo no tratamento de feridas com tecido de hipergranulação.

Palavras-chave: Reabilitação; Face; Ácido tricloroacético.

 

Reconstrução imediata do couro cabeludo com retalho de transposição baseado na artéria temporal superficial pós-ressecção oncológica

Diego Fernando Villagra Avila; Inara do Carmo Lucchese; Estevão José Muller Uliano; Daniel Ongaratto Barazzetti; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):62-64 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: Os tumores mais comuns envolvendo o couro cabeludo incluem carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma maligno. A ressecção desses tumores pode causar defeitos variados e complexos. Há vários algoritmos para o tratamento desses defeitos. A reconstrução ideal irá depender da avaliação criteriosa de cada caso de acordo com diversos fatores. A técnica escolhida para a reconstrução deve priorizar o melhor resultado funcional e estético possível, com mínimo de morbidade do sítio doador. MÉTODOS: Relato de caso. Foram revisados o prontuário e os registros fotográficos de um caso de reconstrução imediata com retalho local após ressecção de tumor de couro cabeludo, e realizada revisão bibliográfica. RESULTADOS: Paciente foi submetido à ressecção de tumor de couro cabeludo e à reconstrução imediata com retalho local, com evolução favorável. CONCLUSÃO: Existem diversas opções para a reconstrução do escalpo, sendo o retalho local de transposição baseado na artéria temporal superficial, seguida de enxertia da área doadora, uma excelente opção de reconstrução do couro cabeludo.

Palavras-chave: Reabilitação; Neoplasias cutâneas; Carcinoma basocelular; Couro cabeludo.

 

Reconstrução do lábio inferior baseado na técnica de Karapandzic: descrição cirúrgica e relato de caso

Natália Biancha Rendó; Inara do Carmo Lucchese; Carlo Mognon Mattiello; Rogério Schutzler Gomes; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcello; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):74-76 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

A técnica de Karapandzic foi introduzida, em 1974, para reconstrução de lábio inferior. É uma modificação do fan-flap de Gillies, um retalho em avanço em rotação composto de espessura total ao redor da boca. O movimento do retalho emprega rotação e avanço, enquanto ele é transferido para a região periférica da comissura oral para fechar o defeito. Esse método de reconstrução é empregado mais comumente na reconstrução de defeitos do lábio inferior e sua melhor indicação é a reconstrução dos defeitos centrais. Neste trabalho descrevemos a técnica de Karapandzic em um paciente com tumor de lábio inferior que compromete mais de 50% do mesmo.

Palavras-chave: Reabilitação; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Lábio.

 

Relato de caso: ferimento complexo de nariz

LEANDRO DEBS PROCOPIO; ELSON ADORNO TAVEIRA; TIAGO COSTA AMARAL; HUGO ROGÉRIO NUNES-FILHO; ALINE BETTKER; RODOLFO LUIS KORTE
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):77-79 - Articles

PDF Portuguese

RESUMO

Introdução: O nariz é de vital importância por ser estrutura única e localizada na porção central da face, contribuindo na estética facial e na identidade do indivíduo. Sua funcionalidade depende da integridade dos diferentes tecidos que o compõem.
Objetivo: Apresentamos neste relato de caso uma paciente vítima de trauma corto-contuso em face, ocasionado por arma branca, onde o nariz ficou pediculado à face apenas pela columela, tendo como único pedículo vascular, a artéria columelar.
Método: Foi optado por reconstrução primária da lesão, e mesmo com comprometimento severo da irrigação, evoluiu com vitalidade total do retalho.
Conclusão: A utilização de terapia medicamentosa local e sistêmica podem ter influenciado na preservação dos tecidos. A abordagem e conduta iniciais demonstraram que em traumas extensos de face acometendo o nariz, a reconstrução com segmento afetado deve ser tentada, mesmo com pedículos vasculares pequenos, uma vez que a irrigação nasal e da face compreende vários pedículos vasculares.

Palavras-chave: Retalho miocutâneo; Deformidades adquiridas nasais; Irrigação sanguínea; Cavidade nasal; Face; Ferimentos e lesões; Traumatismos faciais

 

Reconstrução de orelha pós-amputação traumática: relato de caso

Juliane Ribeiro Mialski; Marcelus Vinicius de Araujo Santos Nigro; Larissa Dalla Costa Kusano; Guilherme Werle Ribeiro; Isabella Mauad Patruni; Ana Paula Trotta
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):93-94 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

A amputação traumática do pavilhão auricular, seja total ou subtotal, acarreta sérios problemas estético-funcionais, de difícil manejo para o cirurgião plástico, e apresenta elevada incidência na última década. Relatamos um caso em que, após sofrer traumatismo com amputação por mordedura humana, é realizada reconstrução total do polo superior da orelha, com enxerto de cartilagem costal, em 3 tempos. Paciente evoluiu bem, com enxerto apresentando completa viabilidade no pós-operatório.

Palavras-chave: Reabilitação; Cartilagem da orelha; Pavilhão auricular.

 

Retalho cervicofacial composto: uma alternativa para reconstrução facial

Natália Biancha Rendón; Pedro Henrique Ongaratto Barazzetti; Caio Pundek Garcia; Arthur Koerich D'avila; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):104-116 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

O câncer de pele é a neoplasia maligna mais comum, e a subclassificação não melanoma representa uma grande porcentagem dessa ocorrência. Frequentemente, as lesões acometem áreas do corpo diariamente expostas à radiação solar, sendo esse um dos principais fatores de risco para desenvolvimento tumoral. As áreas atingidas geralmente são profundas e extensas, o que exige do cirurgião plástico uma excelente técnica para reparos com esse grau de dificuldade. A face conta com uma complexa e densa rede vascular e nervosa, registrando inúmeras variações anatômicas, sendo que a secção de um feixe calibroso, por exemplo, do nervo facial, compromete a movimentação de toda uma hemiface e, consequentemente, compromete o resultado funcional e estético da cirurgia. Neste caso, apresentamos uma paciente com múltiplas tumorações em região da face, com biópsias prévias, resultando em CBC infiltrativo, com necessidade de ressecção e retalho para reconstrução do terço médio da face direita, associado a dorso e asa nasal esquerda. A escolha pelo retalho miocutâneo de avanço de face ou facelift baseou-se em uma maior segurança para redução de casos de isquemia e também por apresentar melhores resultados estéticos em comparação ao retalho cutâneo. A presença do SMAS intensifica o aporte sanguíneo ao retalho, decrescendo as taxas de complicação por eventos isquêmicos no retalho. Assim, com boa indicação, o retalho miocutâneo para reconstrução facial potencializa os resultados estéticos e funcionais finais da face do paciente, embora exija melhor técnica e maior conhecimento anatômico da região a ser tratada.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Face; Reabilitação.

 

Tratamento cirúrgico da paralisia facial com ponte de nervo masseter e cantoplastia lateral: relato de caso e revisão da literatura

Flávio Maciel de Freitas Neto; Ronaldo Scholze Webster; Bruno Della Mea Gasperin; Leonardo Milanesi Possamai; Caroline Battisti; Pedro Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):119-121 - Face I

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: A paralisia facial é uma afecção complexa, em que a morbidade afeta o paciente tanto clínica, com prejuízo estético e funcional, como psicologicamente. Tais alterações, quando presentes, afetam de forma profunda o cotidiano do paciente, bem com as relações interpessoais. OBJETIVO: Relatar um caso de tratamento cirúrgico de paralisia facial com ponte de nervo masseter e cantoplastia lateral, bem como o resultado clínico pós-operatório, discutindo com outras possibilidades terapêuticas cirúrgicas. MÉTODOS: Revisão de prontuário, descrição cirúrgica e registros fotográficos de um caso de paralisia facial, tratado cirurgicamente com retalho muscular de masseter ipsilateral e revisão na literatura médica de opções cirúrgicas para tratamento da patologia. Paciente feminina, parda, 36 anos, com paralisia de nervo facial a esquerda secundário a ressecção de tumor ponto cerebelar, associado a prejuízo de fechamento ocular e mímica facial. Resultados: Para correção da lagoftalmia, optou-se pela realização de uma cantoplastia lateral. No mesmo tempo cirúrgico, com vistas à correção da mímica facial, a porção distal do coto do nervo facial lesado foi reinervada com o nervo massetérico ipsilateral, ramo do nervo trigêmeo. CONCLUSÃO: A paralisia facial é uma afecção complexa, que necessita de um acompanhamento multidisciplinar entre cirurgiões, clínicos, psiquiatras, fisioterapêuticas, psicólogos e enfermeiros e tratamento individualizado, em que o paciente deve participar efetivamente das decisões em conjunto com a equipe médica, visando maior participação nas decisões e maior satisfação do paciente com o resultado final.

Palavras-chave: Paralisia Facial; Reabilitação; Microcirurgia.

 

Uso de matriz sintética e biológica em reconstrução mamária imediata

Evandro Luiz Mitri Parente; Carlo Mognon Mattiello; Miguel Angel Rodriguez Silva; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):141-144 - Membro Superior e Inferior

PDF Portuguese

RESUMO

INTRODUÇÃO: No Brasil e no mundo, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres. De todos os casos, aproximadamente, 20 são submetidos à reconstrução imediata. Desde que foi realizada pela primeira vez, a reconstrução mamária teve aprimoramentos, variando de uso de tecidos autólogos, expansores, implantes mamários e mais recentemente o uso de matrizes dérmicas e sintéticas. OBJETIVO: Relatar a experiência do autor com uso de matriz sintética e biológica na reconstrução mamária imediata. MÉTODOS: Análise descritiva dos dados por meio de revisão de prontuário; foi avaliado o perfil epidemiológico das pacientes e os resultados estético-funcionais, além das complicações. RESULTADOS: Foram analisadas 4 pacientes que foram submetidas à mastectomia por câncer de mama e reconstrução imediata em estágio único com uso de implantes mamários e matriz dérmica. A idade de 37,25 ± 8,53 anos, o tipo de câncer de mama prevalente foi carcinoma ductal invasor 2 (66,6%), em todos 3 casos com neoplasia foi realizada mastectomia radical (skin sparing), todas pacientes pós-mastectomia foram submetidas à colocação de prótese submuscular, uma delas colocou expansor e 2 implante mamário, perfil moderado, cujo tamanho variou de 330ml a 475ml. Do total, 3 pacientes usaram a matriz dérmica sintética absorvível (Gore®) e 1 paciente a matriz biológica de origem porcina (Strattice®); a indicação do uso da matriz foi principalmente para compor o revestimento e dar sustentação ao polo inferior da prótese. Apenas 1paciente fez radioterapia pós-operatória como terapia adjuvante devido a características patológicas da neoplasia que aumentavam risco de recorrência local; 2 delas fizeram quimioterapia perioperatória. Uma paciente apresentou seroma pós-operatório (subgrupo da tela sintética Gore®), que foi resolvido com punção simples. Não houve outras complicações como hematoma, extrusão ou infecção da prótese e matriz dérmica. Em todas pacientes, foram obtidos resultados satisfatórios (avaliação subjetiva). CONCLUSÃO: O uso de matriz dérmica do Brasil é incipiente, porém promissor. Acreditamos que o uso dessa tecnologia é importante num grupo de pacientes cuidadosamente selecionado para que o custo-benefício seja favorável. A experiência do autor mostra bons resultados. Para avaliação da incidência/complicação, necessitamos mais casos e maior seguimento.

Palavras-chave: Reabilitação; Mamoplastia; Mastectomia.

 

Utilização do retalho microcirúrgico do músculo grande dorsal para a reconstrução da mão torta congênita

Cristiano Duncan Aita; Rolando Mendoza Romero; José Henrique Floriani; Pedro Salomão Piccinini; Milton Paulo de Oliveira; Marcos Ricardo Oliveira Jaeger
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):156-158 - Membro Superior e Inferior

PDF Portuguese

RESUMO

A reconstrução do segmento distal do antebraço, sobretudo a região do punho, pode representar um grande desafio. A Mão Torta Radial (MTR) é uma deficiência longitudinal congênita do rádio que varia desde uma hipoplasia até a ausência completa deste osso longo, com consequente desvio da posição normal dos ossos do carpo, o que confere ao indivíduo uma posição antifuncional e prejuízo na aquisição da pinça digital. A reparação do defeito ortopédico impõe a exposição dos ossos do punho, tendões e eixo vascular. O presente relato demonstra a utilização do retalho microcirúrgico do músculo grande dorsal para a cobertura das estruturas profundas da região do punho na criança.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Reabilitação; Microcirurgia.

 

Reconstrução torácica em paciente com Síndrome de Moebius

Gabriela Diesel Silveira; Mariana Angelica Berardi Cioffi; Miguel Enrique Rivera Gomez; Geraldo Machado Filho; Milton Paulo de Oliveira; Marcos Ricardo de Oliveira Jaeger
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):164-166 - Tronco I

PDF Portuguese

RESUMO

A síndrome de Moebius é uma doença rara que em alguns casos está associada à malformação da parede torácica, ocasionando complicações respiratórias secundárias à assimetria torácica, tais como respiração paradoxal e restrição ventilatória. Os retalhos mais comumente utilizados são os musculares e musculocutâneos de grande dorsal, peitoral maior, serrátil anterior, reto abdominal e oblíquo externo; assim como retalhos microcirúrgicos. Os retalhos musculares, como o grande dorsal, trazem tecido bem vascularizado para a área reconstruída. O retalho grande dorsal é versátil e confiável para as reconstruções torácicas devido a sua vascularização e capacidade de reconstrução em defeitos situados na parede torácica anterior e lateral. O objetivo deste trabalho é relatar a técnica cirúrgica utilizada para reconstrução torácica com alinhamento de arcos costais em um paciente com síndrome de Moebius.

Palavras-chave: Reabilitação; Retalhos cirúrgicos; Toracoplastia.

 

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license