ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Showing of 1 until 1 from 2 result(s)

Search for : Pregnancy; Breast; Gigantomastia; Mammaplasty; Mastectomy

Gestational gigantomastia: how to address this clinical situation

Ivan Maluf Junior; Renato da Silva Freitas; Vinicius Milani Budel; Luciana Chamone Amaro; Isis Scomação; Guilherme Berto Roca; Dirlene Thaisa Berry
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(1):134-137 - Case Report

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Gestational gigantomastia is a rare disorder characterized by an excessive and rapid enlargement of the breasts, resulting in edema and venous congestion of breast tissue. It is a painful condition that causes skin ulceration and local infection. In some cases, these complications lead to an emergency mastectomy or induced abortion. The most probable etiology is an abnormal stimulation of breast tissue that is probably triggered by an abnormally elevated level of hormones or by the hypersensitivity of breast tissue to normal hormone levels. Although the breast volume decreases after pregnancy, it rarely returns to its original state; therefore, breast reduction through mastectomy or mammaplasty is usually necessary. Moreover, there is a high likelihood of recurrence in subsequent pregnancies. The authors report a case of gigantomastia in a primigravida that required pregnancy termination, because of the risk of maternal death, and a subsequent breast reduction surgery.

Keywords: Pregnancy; Breast; Gigantomastia; Mammaplasty; Mastectomy.

 

RESUMO

A gigantomastia gestacional é uma desordem rara, na qual ocorre o crescimento excessivo e rápido das mamas, culminando com edema e congestão venosa das mesmas, além de ocasionar dor, ulceração da pele e infecção local. Estas complicações, em alguns casos, levam à necessidade de mastectomia de emergência ou abortamento induzido. A hipótese etiológica mais aceita é a de que exista uma estimulação anormal do tecido mamário, que pode ser desencadeada por níveis excessivos de hormônios ou por uma hipersensibilidade deste tecido a níveis hormonais normais. Apesar de a mama regredir após a gestação, raramente volta ao estado original; portanto, a redução da mama através de mastectomia ou mamoplastia geralmente é necessária. Além disso, é grande o risco de recorrências em gestações futuras. Os autores relatam o caso de gigantomastia em uma primigesta, com necessidade de interrupção da gravidez, devido ao risco de morte materna, e posterior intervenção cirúrgica com mamoplastia redutora.

Palavras-chave: Gravidez; Mama; Gigantomastia; Mamoplastia; Mastectomia.

 

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license